Bandido beneficiado com saída de Natal do Temer estupra duas e é preso

O caso aconteceu em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

Tiago Amaro das Virgens tem 31 anos, estava preso há quatro anos por roubo e cumpria pena na penitenciária 1 de São Vicente. Na última quarta (20), ele saiu da cadeia após receber o benefício da saída temporária de Natal.

Segundo o G1, ele é acusado de estuprar duas mulheres depois de deixar a prisão.

A primeira vítima saía do trabalho quando foi abordada por ele. Conforme a Polícia Civil, o bandido levou a mulher para um matagal para estuprá-la e usou uma faca para ameaçá-la O suspeito ficou mais de uma hora e meia com a vítima.

Já nesta sexta-feira (22) de manhã, ele invadiu um salão de beleza, no bairro Ocian. Testemunhas relataram que viveram momentos de pânico. Ele deu um soco no rosto de uma das funcionárias do estabelecimento, além de roubar e estuprar uma cliente do salão.

Após denúncias, Tiago foi preso na casa da avó dele. A roupa que ele usava no momento do crime também foi encontrada no local.

Tiago tentou fugir da polícia, pulando muro da residência e o telhado, mas os policiais militares conseguiram detê-lo em outra casa.

O indulto de Natal concedido pelo presidente Michel Temer (PMDB) nesta sexta-feira (22) a presos de todo o país recebeu críticas de promotores da Lava Jato, da ONG Transparência Internacional e do Coordenador Nacional dos Agentes Federais do Brasil, o Policial Federal Flávio Moreno. Publicado na edição de hoje do Diário Oficial da União, o decreto altera e torna mais brandos os critérios para que um presidiário possa receber a extinção da pena.

O indulto de Natal que põe nas ruas milhares de criminosos é uma afronta a sociedade brasileira e ao cidadão de bem, pagador de altos tributos. É uma vergonha. Além de beneficiar corruptos, beneficia criminosos de todas espécies que voltam a cometer crimes. Disse, o Policial Federal Flávio Moreno, Conselheiro da Ordem dos Policiais do Brasil e coordenador nacional dos Agentes Federais do Brasil.

A principal mudança em relação aos anos anteriores está no tempo máximo de condenação exigida. Até o ano passado, para ser perdoado, o preso deveria ter sido condenado a, no máximo, 12 anos prisão e já ter cumprido o equivalente a um quarto da pena, se não fosse reincidente. Neste ano, porém, os critérios foram afrouxados: o acesso ao indulto será concedido a todos aqueles que cumpriram um quinto da pena, independentemente de tempo total de condenação, se não forem reincidentes. Para os reincidentes, é preciso ter cumprido um terço da pena para receber o benefício.

Fonte: G1.

1 COMENTÁRIO

  1. Cara na moral falar que a saída de natal é do temer é no mínimo leviano partindo da ideia de que existe a séculos isso e em todos os governos vocês devem ser bem retardados né kkkkk

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here