Flávio Moreno, alerta: “Caso seja aprovado o PL 672/2019 no Senado pela esquerda, os brasileiros contrários a ideologia de gênero nas escolas serão punidos por racismo”

Presidente do PSL Alagoas, Flávio Moreno, Policial Federal, é terminantemente contra o PL 672/19, que altera a Lei 7.716, de 5 de janeiro de 1989, para incluir na referida legislação os crimes de discriminação ou preconceito de orientação sexual e/ou identidade de gênero.

Na verdade trata-se de uma clara mordaça aqueles que são contrários a ideologia de gênero no país. É uma armadilha da esquerda, o primeiro passo para o salvo conduto e implementação da ideologia de gênero nas escolas sem oposição. É algo inacreditável. Mais uma vez os incentivadores do marxismo cultural e a esquerda se superaram em sua astúcia, tentam enganar a população, inclusive os próprios LGBTs. O projeto é assinado por parlamentar do PDT, tem o apoio da esquerda e outros desavisados no Senado e Congresso. Imputar em crime de racismo quem discordar da “ideologia de gênero ou da orientação sexual” é uma afronta a Constituição Federal, a democracia e ao livre exercício da expressão. Tentam desviar a questão da homofobia, mas na verdade querem o salvo conduto para propagar a ideologia de gênero nas escolas, entre as crianças e no meio social sem oposição. Aprovado esse PL, os brasileiros não poderão mais discordar da ideologia de gênero nas escolas.  Querem de forma deliberada destruir a família, a igreja e a escola, os pilares da sociedade, diz Flávio Moreno.

Esse Projeto de Lei só visa coibir a contrariedade a ideologia de gênero. Nada mais. É uma armadilha para sociedade, os cristãos e a família, aqueles que são contra a ideologia de gênero. Existe uma indústria por trás disso. Querem destruir a família, criar o mais caos nos principais pilares da sociedade: a família, a igreja e a escola. É o famoso marxista cultural e a escola de Frankfurt tentando penetrar nas leis, mais uma vez. Gramsci, pensador marxista propagou uma nova forma de dominação da esquerda sem a necessidade da revolução, mas através da dominação da cultura marxista. O Senado não pode aprovar essa lei que estipula o crime de racismo para quem não concordar com a ideologia de gênero. É um absurdo, algo inacreditável, tamanha a desfarçatez e cara de pau.

Somos contra a violência ao ser humano, independente de cor, sexo, condição econômica, idade, etc. Esse PL não combate a homofobia coisa nenhuma, ele cria o salvo conduto para a propagação da ideologia de gênero nas escolas, nas ruas e entre as crianças. É uma afronta ao livre debate, a democracia, a própria Constituição, tão defendida por esses grupos que querem aprovar esse PL. Enquanto, Presidente do PSL Alagoas e dos Agentes Federais Brasil, sou terminantemente contrário a esse PL 672/19, proposto por parlamentar da esquerda, do PDT, menciona Flávio Moreno.

Em relação ao homicídio já existe punição no Código Penal, em relação ao racismo já existem leis, assim como, leis que punem os mais diferentes crimes. Deve ser punido quem cometa um assassinato contra alguma pessoa declarada LGBT. Mas não é isso que o PL disciplina. Já existe punição legal para o homicídio e agressões, sejam contra os declarados LGBTs ou não. Para o assassinato já existem leis que preveem a punição dos responsáveis. A violência não pode ser tolerada. Mas o livre exercício da opinião é um direito constitucional. Querem tirar o direito dos cristãos, do pai e mãe de família, da sociedade de se contrariar com a ideologia de gênero ensinada nas escolas, nos meios de comunicação, por grupos organizados, etc. Essa é a lei da mordaça e o brasileiro deve ser contra, pressionar os senadores e deputados para votar contra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here